Bactérias intestinais associadas a aumento de peso após tratamento quimioterápicoNotícias de Saúde

Segunda, 02 de Novembro de 2020 | 25 Visualizações

Fonte de imagem: Science News

Investigadores da Universidade Bar-Ilan, Israel, sugerem que as bactérias intestinais são parcialmente responsáveis por alterações metabólicas que levam ao aumento de peso após a quimioterapia.
 
O estudo envolveu 33 mulheres que estavam prestes a iniciar a quimioterapia para o cancro da mama, sendo pesadas uma vez antes do tratamento e mais uma vez aproximadamente cinco semanas após o início do tratamento. 
 
Antes do tratamento foram utilizadas amostras de fezes para caracterizar geneticamente o microbioma de cada uma das mulheres e verificou-se que nove das mulheres tinham registado um aumento significativo de peso (3% ou mais). 
 
A investigação verificou que o microbioma destas mulheres apresentava uma menor diversidade de bactérias intestinais e diferentes estirpes bacterianas em comparação com o das mulheres que não tinham ganho peso.
 
O estudo verificou ainda que quando o microbioma intestinal das mulheres que ganharam peso foi transferido para ratos sem germes, estes desenvolveram intolerância à glucose e foram detetados sinais de inflamação crónica no seu sangue. 
 
Os resultados sugerem que o microbioma intestinal está a mediar as alterações metabólicas em mulheres tratadas com quimioterapia, e que a composição pré-quimioterapia do microbioma intestinal pode prever quais as doentes que irão ganhar peso após o tratamento.
 
Os investigadores estão atualmente a meio de um estudo de seguimento que visa examinar os resultados numa população de doentes maior e examinar o microbioma das mulheres no final da quimioterapia, a fim de compreenderem o efeito do tratamento na composição bacteriana.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “BMC Medicine”, 2 Novembro 2020