Aterosclerose: identificada via mais eficaz de a combaterNotícias de Saúde

Segunda, 28 de Abril de 2014 | 54 Visualizações

Investigadores americanos descobriram uma forma de bloquear a anormal produção, transporte e metabolização do colesterol. O estudo publicado na revista “Circulation” demonstra que o desenvolvimento da aterosclerose, a principal causa do enfarte agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral, poderá ser impedido com sucesso.

Os investigadores da Universidade Johns Hopkins, nos EUA, dizem ter identificado e impedido a ação de uma molécula responsável por várias falhas biológicas que afetam a capacidade do organismo utilizar, transportar e remover o colesterol, uma gordura que se acumula nos vasos sanguíneos e que estimula o desenvolvimento da doença cardíaca. Esta molécula denominada por glicoesfingolípido (GSL, sigla em inglês) está presente na membrana de todas a células e é conhecida por regular o crescimento celular. Contudo, os investigadores acreditam que esta também regula a forma como o organismo controla o colesterol.

Neste estudo os investigadores, liderados por Subroto Chatterjee, utilizaram um composto, o D-PDMP, capaz de inibir a síntese da GSL. Foi verificado que a administração do D-PDMP impediu o desenvolvimento de doença cardíaca em ratinhos e em coelhos alimentados com uma dieta rica em gordura.

O estudo sugere que o D-PDMP parece interferir com várias vias genéticas que regulam o metabolismo dos ácidos gordos em múltiplas frentes, desde a forma como as células absorvem o colesterol proveniente da alimentação, até à forma como o colesterol é transportado para os tecidos e órgãos e é posteriormente metabolizado pelo fígado e excretado do organismo.

Os investigadores verificaram que o tratamento com D-PDMP conduziu, nomeadamente, a uma diminuição dos níveis do chamado “mau” colesterol (LDL), do colesterol LDL oxidado e dos níveis de triglicerídeos. Foi também constatado que este tratamento impediu a formação de placas de gordura e depósitos de cálcio nos vasos sanguíneos dos animais.

De acordo com Subroto Chatterjee, “atualmente os fármacos capazes de diminuir os níveis de colesterol atacam o problema numa só frente, bloqueiam a síntese do colesterol ou impedem que o organismo o absorva em grandes quantidades”.

“Contudo, a aterosclerose é um problema multifatorial que necessita que o ciclo anormal do colesterol seja vigiado em vários pontos. Através da inibição do GSL, achamos que conseguimos precisamente isso”, conclui o investigador.

Partilhar esta notícia
Autor
Alert Science
Referência
Estudo publicado na revista “Circulation”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados