Anticorpo reduz metástases ósseas em 100 vezesNotícias de Saúde

Quarta, 20 de Dezembro de 2017 | 103 Visualizações

Fonte de imagem: medimmune.

Uma equipa de investigadores conseguiu reduzir as metástases ósseas em cancro da mama em 100 vezes.
 
O prodigioso resultado foi observado num estudo conduzido por uma equipa de investigadores liderada por Yibin Kang da Universidade de Princeton em Nova Jersey, EUA.
 
“O  Laboratório Kang estuda principalmente metástases no cancro da mama – como é que as células cancerígenas se espalham a partir da mama para outros órgãos – porque o que mata a grande maioria dos pacientes de cancro não é o tumor de origem mais antes as metástases”, explicou Hangiu Zheng, autor principal do estudo.
 
Os investigadores daquele laboratório tinham já descoberto que uma molécula conhecida como Jagged1 constitui uma parte fundamental nas metástases ósseas e na comunicação entre as células cancerígenas e ósseas, facilitando a metastização do cancro da mama nos ossos.
 
A equipa decidiu então investigar se seria possível reduzir as metástases com um anticorpo conhecido como 15D11 para bloquear a Jagged1.
 
No cancro dos ossos, os osteoblastos, ou células ósseas, são compelidas a protegerem as células cancerígenas, protegendo-as da quimioterapia. Os investigadores centraram-se no papel molecular dos osteoblastos nas metástases ósseas. 
 
Os investigadores descobriram que se administrassem o anticorpo 15D11, juntamente com a quimioterapia, funcionava melhor do que se ambos os tratamentos fossem administrados separadamente.
 
Curiosamente, apesar de acharem que o 15D11 só funcionasse contra tumores com elevada expressão de Jagged 1, os investigadores observaram que mesmo os que apresentavam uma baixa expressão da molécula tinham diminuído.
 
A quimioterapia tradicional deixa normalmente de atuar quando a Jagged1 começa a ser produzida pelos osteoblastos. O tumor usa a molécula como um escudo. No entanto se o anticorpo 15D11 atuar especificamente sobre a Jagged1, destrói este escudo, permitindo que a quimioterapia continue a funcionar.
 
A equipa voltou a testar o anticorpo em ratinhos e os resultados comprovaram o ensaio anterior; no qual já se tinha verificado uma redução de 100 vezes no tumor após o tratamento combinado de quimioterapia com 15D11, um resultado considerado formidável e nunca visto pelos investigadores.
 
O próximo passo será avançar para ensaios com ambos os tratamentos em pacientes humanos.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Cancer Cell”