Análise ao sangue muito eficaz para detetar cancro da mama, mesmo em tecido densoNotícias de Saúde

Segunda, 30 de Outubro de 2017 | 48 Visualizações

Fonte de imagem: Harvard Health

Um novo estudo demonstrou que a análise sanguínea para deteção do cancro da mama conhecido como Videssa® Breast, é eficaz, independentemente da densidade do tecido mamário, podendo assim descartar a possibilidade de cancro da mama em todos os tipos de densidade.
 
“As mulheres que têm mamas densas apresentam uma desvantagem a dobrar. Não só correm um maior risco de desenvolverem cancro da mama, como também o tecido denso mamário pode diminuir a fiabilidade da imagem e aumentar as possibilidades de um falso positivo”, avançou Judith Wolf, Diretora Clínica da Provista Diagnostics Inc.
 
Para o estudo, que foi efetuado por uma equipa de investigadores da Provista Diagnostics Inc, EUA, foram recrutadas 545 mulheres, com idades compreendidas entre os 25 e os 50 anos, com tecido mamário denso e não-denso. 
 
As mulheres apresentavam exames de imagem com anomalias ou de difícil interpretação. A sensibilidade e especificidade no grupo com tecido mamário denso era de 88,9% e 81,2%, respetivamente, e no grupo de mulheres com tecido não-denso era de 92,3% e 86,6%, respetivamente. Estas diferenças não eram estatisticamente diferentes.
 
O valor preditivo negativo (VPN) foi de 99,1% nas mulheres com tecido mamário denso e 99,3% nas que possuíam tecido não-denso. Isto confirma que ao receber um resultado negativo no teste, a mulher não tem cancro da mama.
 
“Este estudo demonstra que com de mais de 99% de valor preditivo negativo (VPN), os médicos podem usar o Videssa Breast com confiança para detetar o cancro em mulheres com mamas densas e melhor determinar se a biópsia verdadeiramente garante que avalia resultados duvidosos”, concluiu Judith Wolf. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “PLOS ONE”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados