Amamentação reduz risco de eczema no filhoNotícias de Saúde

Quarta, 27 de Fevereiro de 2019 | 15 Visualizações

Fonte de imagem: Time Magazine

As crianças que são amamentadas exclusivamente durante os primeiros três meses de vida apresentam uma propensão significativamente menor de terem eczema aos seis anos de idade, em relação às que não tenham sido amamentadas ou amamentadas durante menos tempo, indicou um estudo.
 
O estudo, que foi conduzido por Katherine Balas e colegas dos Centros para o Controlo e Prevenção das Doenças dos EUA e da Faculdade de Medicina da Universidade George Washington, EUA, envolveu a análise de dados relativos a padrões de saúde, desenvolvimento e alimentares de 1.520 crianças norte-americanas, acompanhadas desde o nascimento.
 
Os investigadores observaram que aos seis anos de idade, cerca de 300 crianças do grupo tinham sido diagnosticadas com eczema a determinada altura da vida. Efetivamente, 58,5% das crianças diagnosticadas apresentavam a doença naquela idade.
 
A propensão de receberem um diagnóstico de eczema aos 6 anos de idade era maior nas crianças de famílias com um estatuto socioeconómico mais elevado ou com um historial de alergias alimentares.
 
Contudo, foi também detetado que as crianças que tinham sido amamentadas exclusivamente durante pelo menos três meses apresentavam uma propensão de apenas 48% de terem eczema contínuo aos seis anos de idade, em relação às crianças que nunca tinham sido amamentadas ou que o tinham sido durante menos de três meses. 
 
“A prova que o facto de serem amamentadas exclusivamente protege as crianças de desenvolverem eczema mais tarde na vida continua ambivalente”, disse Katherine Balas. “A nossa equipa de investigação está a tentar ajudar a preencher essa lacuna”, acrescentou a investigadora. 
 
“Embora a amamentação exclusiva possa não evitar que as crianças tenham eczema, pode protegê-las de experienciarem crises prolongadas”, apontou.
 
O eczema, ou dermatite atópica, causa extrema comichão da pele, a qual, ao ser coçada fica inflamada e com bolhas de água que rebentam facilmente. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “The Journal of Allergy and Clinical Immunology”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados