Amamentação pode proteger contra dor crónica após cesarianaNotícias de Saúde

Quarta, 07 de Junho de 2017 | 30 Visualizações

Fonte de imagem: huffington

É já de conhecimento comum que a amamentação é extremamente benéfica para o bebé. No entanto, a amamentação demonstrou ser também benéfica para a mãe, após um parto por cesariana.
 
Uma equipa de investigadores efetuou um estudo que apurou que as mães que amamentaram os seus bebés pelo período de pelo menos dois meses, após terem sido submetidas a uma cesariana tinham menos propensão a sofrerem de dor crónica em comparação com as mães que o fizeram durante menos de dois meses.
 
O estudo, liderado por Carmen Alicia Vargas Berenjeno, do Hospital Universitário de Nuestra Señora de Valme, em Sevilha, Espanha, contou com a participação de 185 mães que tinham sido submetidas a uma cesariana naquele hospital entre janeiro de 2015 e dezembro de 2016.
 
Os investigadores entrevistaram as mães sobre padrões de amamentação e dor crónica no local da intervenção cirúrgica, 24 horas, 72 horas e quatro meses após a cesariana. A equipa teve em consideração outros fatores que pudessem influenciar a dor crónica como a técnica cirúrgica utilizada, dores nas primeiras 24 a 72 horas, educação materna e ansiedade sentida ao amamentar.
 
Foi apurado que 87% das mães participantes no estudo tinham amamentado os bebés, sendo que 58% disseram que tinham amamentado os bebés durante dois meses ou mais. 
 
Os resultados revelaram que 23% das mães no estudo que tinham amamentado durante dois meses ou menos continuaram a experienciar dores crónicas no local da cirurgia quatro meses após a operação, em comparação com apenas 8% das que amamentaram durante dois meses ou mais. 
 
As diferenças mantiveram-se mesmo após a idade das mães ter sido tida em consideração. As mães com formação universitária demonstraram menos propensão para sentirem dores crónicas em relação com as que tinham um grau inferior de habilitações académicas. Finalmente, 54% das mães que amamentaram disseram sentir ansiedade ao fazê-lo. 
 
Face aos resultados, os autores concluíram que os mesmos sugerem que “amamentar durante mais de dois meses protege contra a dor crónica após uma cesariana, com um aumento três vezes maior no risco de dor crónica se a amamentação se mantiver apenas durante dois meses ou menos”. 
 
“O nosso estudo proporciona mais uma boa razão para encorajar as mulheres a amamentar. É possível que a ansiedade durante a amamentação possa influenciar a possibilidade de haver dor no local da cirurgia quatro meses após a operação”, concluíram os autores. 

Partilhar esta notícia
Referência

Notícias Relacionadas