Alunos não têm educação física e são vice-campeões de obesidade infantilNotícias de Saúde

Quarta, 21 de Fevereiro de 2018 | 7 Visualizações

Fonte de imagem: National Post

Muitos alunos do 1.º ciclo não fazem aulas de Educação Física, apesar de Portugal ser vice-campeão europeu da obesidade infantil, noticiou a agência Lusa.
 
“Gostávamos que a Educação Física fosse uma realidade no 1.º ciclo, mas temos sérias dúvidas que esteja a ser lecionada”, lamentou Nuno Fialho, vice-presidente do Conselho Nacional das Associações de Professores e de Profissionais de Educação Física (CNAPEF).
 
No 1.º ciclo são os professores titulares que dão as aulas de Educação Física, mas nem todos se sentem capacitados para o fazer, explicou Nuno Fialho, acrescentando que esta disciplina faz parte das Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) e é facultativa.
 
“A formação inicial dos professores é muito generalista e por isso muitos não se sentem à vontade para dar esta parte do currículo, que acaba por não ser lecionado”, lamentou. No entanto, “Portugal é vice-campeão de obesidade infantil”, alertou.
 
Mas nem tudo são más notícias. Segundo Nuno Fialho, já se nota um esforço no sentido de os professores do 2.º ciclo ajudarem os colegas a darem aulas aos alunos mais novos.
 
Além disso, existem regiões que já valorizam o desporto: na Região Autónoma da Madeira, por exemplo, há um grupo específico de professores que dão aulas de Educação Física e nos Açores existem projetos de coadjuvação.
 
A CNAPEF está também preocupada com os alunos do ensino secundário, desde que o anterior ministro da Educação, Nuno Crato, decidiu que a disciplina não contava para a média do secundário.
 
O resultado foi que os alunos do secundário começaram a fazer menos desporto, segundo uma perceção da ANAPEF com base em informações avançadas por professores e outros especialistas.
 
“Não temos nenhum estudo sobre o impacto da medida de Nuno Crato, mas ouvimos muitos entendidos, entre professores e outros profissionais, que nos dizem que os alunos estão menos ativos”, afirmou o vice-presidente da ANAPEF, sublinhando que os alunos que mais precisam são os que menos fazem exercício.

Partilhar esta notícia
Referência
Alerta do vice-presidente do CNAPEF