Alterações cardíacas da menopausa acontecem mais cedo do que se pensavaNotícias de Saúde

Quinta, 30 de Maio de 2019 | 4 Visualizações

Fonte de imagem: Best Health Magazine Canada

Um estudo recente sugere que as alterações cardíacas nas mulheres terão início muito mais cedo do que se pensava.
 
Efetivamente, segundo a investigação de uma equipa da Universidade de Guelph, no Canadá, dão-se ligeiras alterações cardíacas durante a perimenopausa, que é o período anterior à menopausa.
 
Para o estudo, a equipa fez os ovários de ratinhos fêmea perderem a sua função gradualmente, de forma a simular a transição gradual para a menopausa nas mulheres. Os ratinhos passaram pela menopausa durante um período de quatro meses.
 
Ao longo daquele período, os corações dos ratinhos fêmea continuaram a funcionar normalmente, mas certos aspetos do músculo cardíaco sofreram alterações. 
 
“O que vimos foram marcadores de stress. Certas citocinas pro-inflamatórias (proteínas que indicam stress) estavam mais elevadas, enquanto outras não estavam”, indicou Glen Pyle, autor sénior do estudo.
 
Seguidamente, a equipa analisou a forma como o coração respondia quando eram oferecidos fármacos simuladores de estrogénio durante a perimenopausa. Esta abordagem foi uma novidade, pois a terapia de substituição de estrogénio é oferecida às mulheres após a menopausa.
 
“Pretendíamos testar a hipótese temporal: a ideia que existe uma janela de oportunidade para tomar o estrogénio para que pudéssemos tentar identificar essa janela e determinar o impacto da menopausa sobre a resposta aos estrogénios”, explicou Glen Pyle.
 
Os investigadores descobriram que a resposta aos compostos de estrogénio variava ao longo do período da perimenopausa, o que sugere mais uma vez que as alterações moleculares tinham ocorrido durante este crítico período de transição. 
 
“Isto diz-nos que não podemos simplesmente dar estrogénios a um coração, anos após a menopausa porque estaremos a tratar um coração que mudou de forma fundamental. E este estudo demonstra que essas mudanças ocorrem durante o período da perimenopausa”, concluiu o autor sénior do estudo.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Acta Physiologica”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados