Alimentos funcionais para idosos e diabéticos em desenvolvimentoNotícias de Saúde

Terça, 17 de Abril de 2018 | 108 Visualizações

Fonte de imagem: Griswold Home Care

Um projeto de investigação europeu, liderado pelo INL - Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, pretende criar "alimentos funcionais" que melhorem os níveis de diabetes tipo 2 e a capacidade cognitiva de idosos, apurou a agência Lusa.
 
O INL, sediado em Braga, explica que o FODIAC (Food for Diabetes And Cognition) será desenvolvido nos próximos quatro anos, financiado por fundos europeus, no âmbito das Ações Marie Curie, integrando um total de 15 entidades, desde parceiros académicos ao mundo empresarial.
 
"Trata-se de um programa que pretende, através da alimentação, ajudar a melhorar a qualidade de vida das pessoas com idades acima dos 60 anos, tantas vezes afetadas por diversas patologias, estando a diabetes e as disfunções cognitivas entre as mais prevalentes", explica o diretor de Ciências da Vida do INL, Lorenzo Pastrana.
 
Segundo o INL, "o envelhecimento crescente da população mundial coloca à comunidade científica o desafio de encontrar soluções que ajudem a minimizar os inconvenientes associados a esta tendência demográfica".
 
Pelo que o FODIAC tem como "objetivo primário utilizar a dieta alimentar como veículo de compostos bioativos naturais, para além de também pretender, de forma saudável, recuperar o prazer de comer, tantas vezes afetado pela perda progressiva de capacidade sensorial/gustativa nos mais idosos".
 
Lorenzo Pastrana salienta ainda que com aquele projeto pretende-se a "valorização de subprodutos alimentares e a redução do desperdício alimentar, através do desenvolvimento de novas tecnologias que permitam extrair nutrientes, por exemplo, de cascas e sementes de frutos, naturalmente ricos em antioxidantes e que acabam sempre no lixo".
 
O Projeto FODIAC integra, além do INL, a Universidade do Minho, Universidade Católica Portuguesa, Universitá Cattolica del Sacro Cuore (Milão, Itália), University of Reading (Inglaterra), Lunds Universitet (Lund, Suécia), bem como o CSIC - Consejo Superior de Investigaciones Científicas (Espanha), e as empresas Grupo SONAE, Anfaco, A&R House, Bioinicia, Casa Emma, Decorgel, Domus Vi, e Evra.

Partilhar esta notícia
Referência
Projeto liderado pelo Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia

Notícias Relacionadas