Álcool altera regulador de sono do organismoNotícias de Saúde

Terça, 16 de Dezembro de 2014 | 50 Visualizações

Um novo estudo demonstrou que o consumo prolongado de bebidas alcoólicas pode causar insónias através de interferência no sistema regulador do sono.
 
Muitas pessoas recorrem a bebidas alcoólicas para poderem adormecer. No entanto os investigadores aconselham as pessoas a não utilizarem o álcool como forma de resolver perturbações de sono.
 
O estudo, que teve a duração de mais de cinco anos, foi conduzido pela Escola de Medicina da Universidade de Missouri, nos EUA, e demonstrou que “o álcool promove o sono ao afetar a homeostase do sono, que é o mecanismo do cérebro que regula o nosso sono e vigília”.
 
A homeostase do sono é o mecanismo pelo qual o organismo de determinado indivíduo equilibra a necessidade de sono, em função das horas que este já permaneceu acordado. Este mecanismo recorre à adenosina, um químico que ocorre naturalmente nas células.
 
O índice de adenosina fora das células aumenta durante longos períodos de vigília e diminui durante o período de sono. Quando o índice deste químico aumenta, bloqueia as células que promovem a vigília no cérebro anterior basal. Quando o índice diminui o bloqueia deixa de existir e as células promotoras da vigília são reativadas.
 
Deste modo, se uma pessoa for dormir mais cedo poderá também despertar mais cedo ou mesmo a meio da noite.
 
Ensaios levados a cabo em ratos e ratinhos, pela equipa de investigadores, demonstraram que o álcool faz potenciar os níveis extracelulares de adenosina, que por sua vez induz o sono através do bloqueio das células promotoras da vigília no cérebro anterior basal.
 
A equipa investigou também o efeito exercido pela cessação de consumo do álcool no sono. Foi descoberto que, após períodos prolongados de abuso de bebidas alcoólicas, o sono vinha rapidamente tal como esperado. No entanto, após algumas horas surgia a vigília e a impossibilidade de retoma do sono. O surgimento da insónia foi verificado em situações de cessação de consumo de álcool.
 
Mahesh Thakkar, professor associado e diretor de pesquisa no Departamento de Neurologia daquela Universidade, aconselha a quem sofre de perturbações de sono que “fale com o seu médico ou um especialista do sono para determinar que fatores o impedem de dormir. Estes fatores podem ser abordados através de terapias individualizadas”.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Alcohol”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados