Adoçantes artificiais podem ser tóxicos para o microbioma intestinalNotícias de Saúde

Quinta, 04 de Outubro de 2018 | 19 Visualizações

Fonte de imagem: Blackmores

Vários tipos de adoçantes artificiais e suplementos usados na prática desportiva demonstraram ser tóxicos para os micróbios do sistema intestinal, atestou um estudo recente.
 
Conduzido por uma equipa de investigadores da Universidade Ben-Gurion do Neguev, em Israel, e da Universidade Tecnológica de Nanyang em Singapura, o estudo indicou toxicidade relativa em seis adoçantes: aspartame, sucralose, sacarina, advantame, neotame e acessulfame K, e ainda em 10 suplementos desportivos que continham aqueles adoçantes artificiais.
 
Foi observado que as bactérias do sistema digestivo se tornaram tóxicas quando foram expostas a concentrações de apenas 1 mg/ml dos adoçantes artificiais numerados acima.
 
Ariel Kushmaro, da Universidade Ben-Gurion do Neguev esclareceu que “modificámos bactérias E.coli bioluminescentes, que se iluminam quando detetam agentes tóxicos e atuam como um modelo sensorial representativo do complexo sistema microbiano”.
 
O investigador acrescentou que os achados revelam mais uma vez que o consumo de adoçantes artificiais prejudica a atividade do microbioma intestinal, o que pode causar diversos problemas de saúde.
 
Os adoçantes artificiais são adicionados a numerosíssimos produtos alimentares e refrigerantes com pouco açúcar adicionado. Muitas pessoas consumem adoçantes artificiais sem sequer saberem. Adicionalmente, foi descoberto que estes aditivos alimentares são poluidores ambientais, tendo sido já detetados em águas superficiais e de beber e ainda em aquíferos subterrâneos.
 
“Os resultados deste estudo poderão ajudar a compreender a relativa toxicidade dos adoçantes artificiais e o potencial dos efeitos negativos sobre a comunidade microbiana intestinal, assim como o meio-ambiente”, concluiu Ariel Kushmaro.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Molecules”