Aderência a dietas saudáveis protege contra o risco de cancroNotícias de Saúde

Domingo, 12 de Maio de 2019 | 22 Visualizações

Fonte de imagem: US News Health

Seguir uma dieta que encoraje o consumo de alimentos saudáveis, desencorajando o consumo de bebidas alcoólicas, juntamente com a prática de exercício físico, foi associado a uma redução no risco de todos os cancros, cancro da mama, da próstata e colorretal, indicou um estudo. 
 
“Entre todos os fatores de risco para o cancro (além do tabaco), a nutrição e a atividade física são fatores de estilo de vida modificáveis que podem contribuir para o risco de cancro”, disse Mathilde Touvier, que conduziu o estudo com Bernard Srour, no Instituto Nacional Francês de Investigação de Saúde e Medicina (abreviado como Inserm), França.
 
Com efeito, o Fundo para a Investigação Mundial do Cancro/Instituto Americano de Investigação do Cancro (WCRF/AICR, nas suas siglas em inglês), estima que cerca de 45% dos cancros colorretais e 35% dos cancros da mama poderiam ser evitados nos países desenvolvidos se houvesse uma melhor aderência às recomendações nutricionais.
 
Para o estudo, os investigadores efetuaram uma avaliação ao impacto de quatro tipos de recomendações nutricionais: o índice WCRF/AICR, o Índice de Alimentação Saudável Alternada, o Índice Francês de Nutrição e Programa-Diretrizes de Saúde e o índice MEDI-LITE, um índice relativamente recente que mede a aderência à dieta mediterrânica.
 
Os investigadores contaram com dados de um estudo francês conhecido como NutriNet-Santé, que investigava as associações entre a nutrição e saúde em França e incluía uma coorte de 41.543 participantes. Os participantes tinham 40 ou mais anos de idade e nunca tinham sido diagnosticados com cancro antes de ingressarem no estudo.
 
Os participantes completaram questionários sobre a sua alimentação a cada seis meses, descrevendo o que tinham comido num espaço de 24 horas e foram depois avaliados em relação à sua aderência às quatro dietas identificadas. 
 
A equipa apurou que todas as dietas estavam associadas a um risco menor de cancro, mas com especial relevância a dieta WCRF/AICR. Com efeito, seguir as recomendações daquela dieta foi associado a um decréscimo de 14% no risco de cancro da mama, 12% no risco de cancro da próstata e de 12% no risco de cancro em geral. Esta dieta recomenda ainda que não se consuma álcool, o que contribuirá para o aumento dos benefícios de redução do risco de cancro associados à mesma.
 
Os autores concluem que este estudo realça, entre outros, o papel do álcool como um fator de risco para muitos cancros. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Cancer Research”

Notícias Relacionadas