Aborto espontâneo: caminhar pode ajudar a engravidar de novoNotícias de Saúde

Sábado, 12 de Maio de 2018 | 198 Visualizações

Fonte de imagem: Huffingtonpost

Um novo estudo apurou que caminhar pode ajudar as mulheres que tenham tido um aborto espontâneo a voltarem a engravidar.
 
Para perceberem os fatores modificáveis que poderiam influenciar a fecundidade de uma mulher, a equipa de investigadores que conduziu o estudo contou com a participação de 1.214 mulheres saudáveis com 18 a 40 anos de idade e com um historial de um ou dois abortos espontâneos
 
A análise efetuada pela equipa liderada por Lindsey Russo, da Faculdade de Saúde Pública e de Ciências da Saúde da Universidade de Massachusetts Amherst, EUA, não encontrou uma associação geral entre a maior parte dos tipos de atividade física e a fecundidade em mulheres com historial de aborto espontâneo. 
 
No entanto foi encontrada uma associação entre caminhar e a fecundidade, a qual variava significativamente segundo o índice de massa corporal (IMC) das mulheres. Com efeito, nas mulheres que apresentavam excesso de peso ou eram obesas, caminhar pelo menos durante 10 minutos de cada vez, revelou aumentar a fecundidade das mesmas.
 
Mais, em modelos estatisticamente ajustados, foi observado que as mulheres que relatavam mais de quatro horas semanais de atividade vigorosa, tinham uma possibilidade significativamente maior de engravidarem do que as que não relatavam atividade vigorosa.
 
As atividades moderadas, estar sentada e outras categorias de atividade não foram associadas à fecundidade em geral ou nas análises segundo o IMC.
 
Os autores indicaram que não conseguiram perceber as associações relacionadas com a atividade vigorosa em comparação com a atividade moderada e de baixa intensidade. A equipa apontou ainda que as mulheres que são fisicamente mais ativas poderão ser diferentes das menos ativas em termos de estilo de vida e comportamentos.
 
“Estes achados proporcionam evidência positiva sobre os benefícios da atividade física em mulheres que estão a tentar engravidar, especialmente caminhar para as que apresentam um IMC maior. São necessários mais estudos para clarificar os possíveis mecanismos através dos quais caminhar e a atividade vigorosa possam influenciar o período até engravidar”, concluiu Lindsey Russo.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Human Reproduction”