A insuficiência cardíaca severa pode ser reversível?Notícias de Saúde

Terça, 10 de Outubro de 2017 | 24 Visualizações

Fonte de imagem: Huffingtonpost

Um novo estudo demonstrou que a insuficiência cardíaca, a causa principal de morte cardiovascular, pode ser reversível.
 
Uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina Baylor em Houston, EUA, descobriu que o silenciamento, em ratinhos, de uma via de sinalização conhecida como Hippo, na sequência de um ataque de miocárdio, fazia ativar um processo de autorregeneração desconhecido até à data.
 
Cerca de metade dos pacientes com insuficiência cardíaca, não consegue sobreviver além de cinco anos após receber o diagnóstico. Atualmente, o melhor tratamento para este problema é o transplante de coração ou o implante de um dispositivo de assistência ventricular. Ambos os procedimentos levantam problemas vários.
 
O tecido cardíaco não tem a capacidade de se regenerar quando morre por falta de oxigénio, em situações como um ataque de miocárdio. Em vez de gerar novas células musculares cardíacas, ou cardiomiócitos, o coração substitui o tecido morto por tecido de cicatrização composto por fibroblastos.
 
No entanto, os fibroblastos não têm a capacidade de bombear dos cardiomiócitos, e o coração enfraquece assim gradualmente, o que faz com que a maioria dos pacientes com ataques de miocárdio graves desenvolvem insuficiência cardíaca.
 
Os investigadores procuraram assim investigar vias biológicas que estivessem ativas durante o desenvolvimento e regeneração do coração de forma a encontrarem formas de reparar o músculo cardíaco.
 
“Para este estudo investigámos a via Hippo, que se sabe de estudos anteriores do meu laboratório que previne a proliferação e regeneração das células musculares cardíacas em adultos”, explicou James Martin, autor correspondente deste estudo. A equipa avançou ainda que a via Hippo era mais ativa em pacientes com insuficiência cardíaca. 
 
 Deste molde, a equipa decidiu então inativar a via Hippo em ratinhos com uma simulação de um ataque de miocárdio avançado que ocorre em humanos, para verificar se se produziriam melhorias na função cardíaca. Os ratinhos doentes foram posteriormente comparados com um grupo de ratinhos saudáveis.
 
Seis semanas mais tarde os ratinhos doentes tinham recuperado a função de bombeamento que ficou ao mesmo nível da dos ratinhos do grupo de controlo. 
 
Os investigadores concluem assim que o silenciamento da via de sinalização Hippo faz regenerar as células do músculo cardíaco, mas também altera o processo de cicatrização, a fibrose.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Nature”

Notícias Relacionadas