8 problemas de saúde 'de verão'Notícias de Saúde

Terça, 23 de Junho de 2015 | 8 Visualizações

O calendário diz que chegou hoje, os termómetros dizem que já cá estava. Mas com o calor e o corpo mais exposto, o verão traz consigo algumas ameaças para a saúde

Os olhos 

Se a necessidade de usar protetor solar já está interiorizada pela maioria, com os óculos de sol é diferente. No entanto, mesmo num dia nublado, os raios de sol podem levar a vários problema oculares. Desde situações de tratamento mais simples como a inflamação da córnea (queratite) ou o crescimento da conjuntiva (pterígio), a danos de longo prazo como cataratas ou degeneração macular, estas são doenças causadas pela exposição dos olhos à luz solar. Dor, possivel crescimento do olho e uma diminuição da visão são alguns dos sintomas. 

Intoxicações alimentar 

Verão é, para muitos, sinónimo de churrascos e saladas. Mas mesmo sendo esta uma alimentação saudável, o risco de intoxicação alimentar aumenta se as regras de preparação dos alimentos não forem cumpridas. Os sintomas manifestam-se geralmente três dias depois e vão desde leves episódios de diarreia e/ou vómitos ou, nos casos mais graves, febres associadas a tonturas, diminuição de frequência urinária, desidratação, dor abdminal persistente a sangue na fezes. A limpeza, o manuseamento e preparação adequada dos alimentos de maneira a evitar a contaminação cruzada são algumas das dicas que ajudam a prevenir a intoxicação alimentar. 

Ouvido de nadador 

Habitualmente conhecida como otite externa, é a inflamação da pele do canal auditivo. Nadar frequentemente é um fator de risco, uma vez que a água ao entrar no ouvido, pode levar à irritação e posterior inflamação. Comichão, sensação de desconforto e diminuição da audição são alguns dos sintomas. A otite externa pode, na sua maioria, ser muitas tratada através de gotas farmacêuticas. 

Rinite alérgica

A febre do fenos ou rinite alérgica é cada vez mais comum. Causada por uma reação alérgica ao pólen leva a inflamação, sintomas de constipação e irritação da garganta, nariz e  olhos, tosse, espirros, dor de cabeça e cansaço. Evitar grandes exposições ao pólen, protegendo os olhos quando está ao ar livre, bem como o nariz e manter as portas e janelas de casa fechadas são algumas formas de prevenir a rinite alérgica. Os tratamento da doença incluem anti-histamínicos e sprays que podem ser comprados nas fármacias. Para prevenir os sintomas, o melhor é consultar um médico, que poderá recomendar medicação profilática umas semanas antes do início da temporada das alergias.

Escaldões 

As queimaduras solares podem acontecer com apenas algumas horas de exposição ao sol e mesmo nos dias mais nublados. Pele quente, que ao toque se torna doloroso é o primeiro sintoma de escaldão. O aparecimento de bolhas também é frequente e ao fim de alguns dias a pele na zona da queimadura começa a cair. Em causos mais extremos os sintomas podem incluir febre, calafrios, dores de cabeça, fadida, náuseas ou erupções cutâneas. Com o passar do tempo os escaldões podem originar danos crónicos na pele como rugas, manchas solares e sinais ou até mesmo cancro da pele. A proteção solar mesmo em dias nublados é a melhor maneira de evitar os evitar. Os sintomas podem atenuar-se mantando uma boa hidratação, refrescando a pele com duches de água fria e compressas frias e aplicando um greme hidratante ou um gel fresco. Deve consultar o seu médico se não melhorar em alguns dias e tiver febre, dores de cabeça ou tonturas, náuseas, sinas de infeção ou bolhas numa grande área do corpo. 

Doença de Lyme 

Com o tempo quente, vêm os passeios no campo.  A doença de Lyme ou febre da carraça pode ocorrer a curto ou longo prazo. A maioria das pessoas nem repara quando é mordida: nota apenas uma picada com um erupção circular vermelha à volta. Este sintomas podem acontecer três dias a cerca de um mês após a picada. Com sintomas confundíveis com os de uma gripe, algumas pessoas podem recuperar sem tratamento, no entanto, em alguns casos a doença de Lyme pode causar dor nas articulações, fraqueza, fadiga, problemas cardíacos e neurológicos se não for tratada com antibióticos. A prevenção passa por usar repelentes, mangas comprimidas e sapatos fechados. Deve também verificar a sua pele diariamente para despiste de alguma eventual picadela. 

Exaustão provocada pelo calor 

A transpiração excessiva leva à perda de água e sal, podendo conduzir à desidratação. A temperatura corporal também aumenta e pode levar assim à exaustão pelo calor. Náuseas, dores de cabeça, desmaios ou tonturas são possíveis consequências. Procurar um lugar frescco e ingerir uma grande quantidade de líquidos geralmente leva a uma rápida recuperação. Sem tratamento, a temperatura do corpo pode subir acima dos 40 graus, provocando confusão, vómitos, respiração rápida ou desmaios. Uma insolação deve ser tratada com máxima urgência médica.

Erupções cutâneas 

Desde o "entupimento" das glândulas sudoríparas, a reações alérgicas na pele, a picadas de insetos ou exposição ao polén, são diversas as causas que podem levar a erupções cutâneas no verão. Manter a pele fria e fazer uma esfoliação regularmente para minimizar a acumulação de células mortas, pode ajudar a prevenir as erupções. Por norma, estas passam sozinhas ou melhoram com anti-histamínicos orais ou cremes adequados. 

Partilhar esta notícia
Autor
Visão
Referência