7 conselhos para consumir menos salNotícias de Saúde

Domingo, 18 de Maio de 2014 | 79 Visualizações

A ingestão excessiva de sal contribui para o desenvolvimento de várias patologias. Proteja-se e à sua família.

O sódio é necessário para a atividade nervosa e muscular e para manter o equilíbrio de água no organismo. No quotidiano, o nosso consumo de sódio provém, geralmente, do cloreto de sódio.

Sabe-se que o sal (cloreto de sódio) tem 40% de sódio e que para além de estar presente no sal de cozinha ou de mesa, encontra-se também nos vários produtos industrializados que são consumidos diariamente, como pão, queijo, fiambre, cereais, bolachas, produtos enlatados…

Sal q.b. 

No que toca a ingestão diária de sal, a Organização Mundial de Saúde recomenda o valor máximo de 5g (aproximadamente 2000 mg de sódio).

No entanto, uma pesquisa realizada por investigadores da Harvard School of Public Health concluiu que cerca de 75% da população mundial consome cerca do dobro da quantidade diária de sal recomendada. Portugal é um dos países europeus que mais sal consome.

Perigos do sal em excesso

São vários os estudos que associam a ingestão excessiva de sal à hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares e, até, cancro do estômago e do esófago. No nosso país, as doenças cardiovasculares e as doenças oncológicas são, respetivamente, a primeira e a segunda causa de morte. É fundamental, por isso, reduzir o consumo de sal.

Vamos dar-lhe 7 conselhos:

1) Em vez de sal, use ervas aromáticas, especiarias ou algumas gotas de limão ou laranja para confecionar e temperar os alimentos. Faça esta mudança gradualmente, para que o paladar se vá habituando a níveis de sódio mais baixos. Às refeições, não coloque o saleiro na mesa.

2) A fruta e os vegetais têm um teor de sódio muito baixo. Inclua-os sempre nas refeições.

3) Opte, sempre que possível, por produtos frescos. A comida processada é rica em sódio e pobre em nutrientes. 

4) Use gorduras saudáveis para cozinhar (azeite, por exemplo).

5) Substitua o pão branco por pão escuro (com cereais integrais). 

6) Limite o consumo de produtos de charcutaria, queijos curados, frutos secos salgados, batatas fritas de pacote, crustáceos, patés, cubos de caldo… Evite fast food, molhos (mostarda, Ketchup, soja, chili, molho inglês) e refeições pré-confecionadas, comida enlatada, refrigerantes…

7) Antes de comprar um alimento, leia o rótulo. Se este fizer referência ao conteúdo de sódio, multiplique esse valor por 2,5 e vai obter o conteúdo em sal (cloreto de sódio). Ou seja, se um alimento contiver 0,4g de sódio, este valor corresponde a 1g de sal (20% do valor diário recomendado pela OMS). 

Sabia que…

Um estudo da autoria do Centro de Excelência de Hipertensão e Risco Cardiovascular do Serviço de Medicina Interna do Centro Hospitalar do Alto Ave (CHAA) realizado numa escola de Guimarães, permitiu apurar que os alunos com idades compreendidas entre os 10 e os 12 anos consomem sal em excesso.

Partilhar esta notícia
Autor
saúdecuf
Referência

Notícias Relacionadas