6 fatores para correr mais e melhorNotícias de Saúde

Quarta, 01 de Julho de 2015 | 85 Visualizações

Em leituras recentes e face ao número cada vez maior de corredores e às exigências de mais e melhores resultados surge cada vez mais necessidade de esclarecer o leitor para factos como o risco de lesões e a capacidade de treinar mais, mas sobretudo melhor.

De acordo com Brian Mackenzie o atleta de desportos de endurance foca o seu esforço e prioridade no volume de treino – 80% - deixando para segundo plano não só o trabalho técnico como o trabalho de intensidade.

Ao contrário das outras modalidades desportivas parece que o fenómeno corrida prima quase sempre por dar ênfase ao volume deixando a técnica, que deveria estar na base, para segundo plano. É aqui que urge fazer a diferença de modo a que possamos desfrutar de mais e melhores km sem lesões. Como refere Gary Gray - www.grayinstitute.com - a lesão é uma interrupção da unidade e o corpo deve movimentar-se com a mesma capacidade visco-elástica de uma bola de basquete quando devidamente cheia.

Deste modo apresento 6 fatores que influenciam grandemente a corrida e o desempenho dos corredores:

- Gravidade – é igual para todos e afecta tudo o que existe no planeta. Uma adequada técnica de corrida ajuda a aproveitar esta força de aceleração a nosso favor. Em vez de nos empurrarmos do chão devemos transferir o nosso centro de massa para a frente de modo a usarmos a gravidade a nosso favor.

- Força de Reação – corresponde ao momento em que atingimos o chão. Importa aqui reter que o ataque ao solo deve ser feito com o terço anterior do pé – parte da frente - de modo a que possamos obter vantage na propulsão e continuarmos em frente sem termos de sacrificar o nosso corpo a elevadas cargas de compresso e a recrutar mais musculos para nos mantermos em marcha.

- Elasticidade Muscular – é a capacidade que os nossos músculos têm de contrair quando são solicitados e de voltar à posição inicial. Para os corredores importa reter que a zona do corpo com maior capacidade elástica está na região abaixo do joelho sobretudo no pé, logo temos de a usar a nosso favor.

- Contracção Muscular – esta trabalha em colaboração com a elasticidade muscular Quanto maior for a capacidade elástica do musculo menor a contracção do mesmo. Somos mais eficientes porque gastamos menos – energia – e progredimos mais.

- Braço de alavanca – sem querer complicar este surge quando avançamos sobre o nosso centro de gravidade ou de massa e de modo a que não caiamos de cara no chão devemos continuar a acelerar. Quando corremos geramos força no topo do corpo e é ai que reside o nosso torque ou braço de alavanca. A aceleração e desaceleração de ambos os momentos da corrida é o nosso torque ou braço de alavanca.

- Momento – produzimos uma determinada força para atingirmos uma certa velocidade e uma vez atingido esse patamar já não precisamos do mesmo esforço para continuar e manter a velocidade porque usamos o momento a nosso favor.

6 pontos que considero importantes e que constam da obra Power Speed e Endurance do autor Brian Mackenzie mas que fazem toda a abordagem numa vertente alargada da corrida com vista à melhoria da performance integrada do atleta/corridor.

Partilhar esta notícia
Referência
Bruno Brito - NASM – CPT