10 coisas que deve saber sobre o melanomaNotícias de Saúde

Domingo, 18 de Maio de 2014 | 224 Visualizações

A propósito do Dia do Melanoma, que se assinalou esta semana, confira os esclarecimentos dos dermatologistas sobre as formas de manifestação da doença 

1) É um dos cancros mais comum nos jovens adultos

De acordo com a Academia Americana de Dermatologia (AAD), é o cancro mais comum em pessoas com idades entre os 25 e 29 anos. Os especialistas acreditam que é o resultado do uso dos solários.

2) O melanoma afeta pessoas com todos os tipos de pele

As pessoas com mais pigmentação na pele têm um risco menor de terem cancro de pele porque têm mais protecção contra o sol mas isso não significa que não possam ter. 

3) Pode não se desenvolver em sinais já existentes

Os sinais já existentes podem transformar-se em melanoma mas é possível surgir num sinal novo

4) Pode aparecer em pessoas com poucos ou sem sinais

Qualquer pessoa corre o risco de ter melanoma até mesmo aqueles que têm poucos sinais. Se tem poucos sinais e notar uma mudança na forma, tamanho ou cor nalgum deve analisá-lo.

5) O melanoma pode não ser um sinal

Pode-se detetar um melanoma através de uma ferida que não cicatriza, por exemplo.

6) O cancro pode aparecer em áreas não expostas ao Sol

Melanomas podem aparecer em sítios como entre os dedos das mãos e dos pés, nas axilas, rabo ou genitais. 

7) Pessoas mais velhas também podem ter a doença

Para quem tinha uma forte exposição ao sol, quando era mais jovem, o diagnóstico de melanoma pode passar pela manifestação de mutações genéticas nos melanócitos, as células que produzem a melanina na pele

8) Melanoma é a forma mais letal de cancro de pele

Os carcinomas basocelulares e espinocelulares são mais comuns que o melanoma mas têm taxas de sobrevivência mais elevadas. 

9) Mas é tratável quando diagnosticado no início

Quanto mais cedo se detetar um melanoma, mais hipóteses de sobrevivência há.

10) O melanoma não 'ataca' só quem gosta de sol ou de solários

Quem tem um historial de familiares com cancro está mais sujeito a ter melanoma do que o resto da população. Relatórios mostraram que ter um parente de primeiro grau com um melanoma (pai, irmão ou irmã) pode aumentar o risco de ter melanoma entre 10 a 15%.

Partilhar esta notícia
Autor
Visão
Referência

Notícias Relacionadas