PseudogotaOssos, Articulações e Músculos

Atualizado em: Segunda, 18 de Maio de 2015 | 246 Visualizações

A pseudogota, doença por depósito de cristais de pirofosfato de cálcio diidratado, é uma perturbação caracterizada por ataques intermitentes de dor e artrite, causados pela acumulação desses cristais.  

A doença geralmente surge em pessoas de idade avançada e afecta de igual modo homens e mulheres. Pode, a longo prazo, causar a degenerescência das articulações afectadas.

A pseudogota confunde-se frequentemente com outras doenças articulares, especialmente com a gota. O diagnóstico estabelece-se através da extracção com agulha do líquido da articulação inflamada. No líquido articular encontram-se cristais compostos de pirofosfato de cálcio em vez de uratos. As radiografias também podem apoiar o diagnóstico, dado que os cristais de pirofosfato de cálcio (ao contrário dos cristais de urato) não deixam passar os raios X e aparecem como depósitos brancos na radiografia.

Em geral, o tratamento pode interromper os acessos agudos e prevenir novos ataques, mas não pode evitar a lesão das articulações afectadas. Com frequência, utilizam-se os anti-inflamatórios não esteróides (AINE) como o ibuprofeno para reduzir a dor e a inflamação. Por vezes, pode-se administrar colchicina por via endovenosa para aliviar a inflamação e a dor durante os ataques e por via oral em doses baixas diárias como medida de prevenção. Ocasionalmente, drena-se o excesso de líquido articular e injecta-se uma suspensão de corticosteróide na articulação para reduzir a inflamação. Não existe nenhum tratamento eficaz a longo prazo para extrair os cristais.

Desconhece-se a causa da pseudogota. Pode manifestar-se em pessoas que sofrem de outras doenças, como nas que têm valores anormalmente altos de cálcio no sangue, em consequência de um aumento da produção da hormona paratiróidea (hiperparatiroidismo), ou uma taxa anormalmente elevada de ferro nos tecidos (hemocromatose) ou ainda níveis anormalmente baixos de magnésio (hipomagnesémia). Os sintomas variam amplamente.

Algumas pessoas têm ataques de artrite com dor, habitualmente nos joelhos, nos pulsos ou noutras articulações relativamente grandes. Outras pessoas sofrem de dor e rigidez crónicas e persistentes nas articulações dos braços e das pernas, que se podem confundir com a artrite reumatóide. Os acessos agudos são geralmente menos graves que os da gota. Em algumas pessoas não se observa dor entre um ataque e outro, e outras não experimentam dor em qualquer momento, apesar das grandes acumulações de cristais.

Partilhar este artigo
Referência

Notícias Relacionadas