Pele: Problemas de pele do recém-nascido saudávelDoenças da Pele

Atualizado em: Segunda, 18 de Maio de 2015 | 589 Visualizações

A nível da pele do recém-nascido, existem várias alterações que podem estar presentes no nascimento ou surgir nos primeiros dias de vida e que são transitórias e benignas. Muitas delas não necessitam de tratamento.

Vérnix Caseoso: É uma substância branca, na superfície da pele, couro cabeludo e pregas, semelhante a sebo.

Tem por função proteger e lubrificar a pele do feto na vida intra-uterina.  

Lanugo: É o aparecimento de pelos, macios e finos (mais frequentes no dorso e pavilhões auriculares). Na maioria das vezes nota-se o seu desaparecimento nas primeiras semanas de vida.  

Bolha de sucção: É uma lesão em forma de bolha que ocorre em alguns recém-nascidos, sendo provocada pela sucção realizada pelo feto durante a sua vida intra-uterina. É mais frequente no antebraço e punho e desaparece espontaneamente nos dias seguintes ao nascimento.  

Quistos da cavidade oral (pérolas de Epstein e nódulos de Bohn): As pérolas de Epstein são pápulas branco-amareladas localizadas na região mediana do “céu-da-boca” (palato). Os nódulos de Bohn são quistos alveolares mais frequentes na maxila do que na mandíbula. Não necessitam de tratamento e regridem espontaneamente.  

Dermatite Seborreica: Aparece mais frequentemente nas primeiras semanas de vida, apresentando-se como lesões ruborizadas em placa, cobertas por escamas amareladas, localizadas no couro cabeludo, por detrás das orelhas, sobrancelhas e axilas. O prognóstico é bom, após tratamento adequado.

Descamação Fisiológica: Os recém-nascidos com 40 semanas ou mais apresentam uma descamação fisiológica da pele nos primeiros dias após o nascimento. Esta descamação pode prolongar-se até à 3.ª semana de vida.  

Quisto Pilonidal: É uma lesão quística presente em alguns recém-nascidos, localizada na região mediana coccígea. Raramente requer tratamento.  

Mama Supranumerária: Caracteriza-se pela presença de um ou mais mamilos rudimentares (pequena pápula acastanhada) de localização ao longo da linha mamária que vai desde a axila até a região mediana da virilha. A maioria das vezes não necessita de tratamento.

Bossa Serossanguínea ou Capput Succedaneum: Como o próprio nome indica, é uma bossa no couro cabeludo causada pela pressão exercida pelo útero e cérvix sobre a cabeça do feto durante o parto. Esta lesão ultrapassa as linhas de sutura (união dos ossos do crânio) e a sua resolução é espontânea nos primeiros dias após o nascimento.  

Cefalo-Hematoma: Algo semelhante a bossa serossanguínea, caracteriza-se igualmente por uma bossa no couro cabeludo, após um parto difícil com ventosa ou fórceps. A lesão não ultrapassa as linhas de sutura e não necessita de tratamento. Pode calcificar e persistir durante alguns meses.     

Partilhar este artigo

Notícias Relacionadas