Eco-Doppler, Duplex - Scan, Triplex - Scan , Doppler colorido, AngiodinografiaSangue e Sistema Cardiovascular

Atualizado em: Segunda, 18 de Maio de 2015 | 476 Visualizações

Todos estes nomes correspondem basicamente ao mesmo exame, que é um modo de estudar artérias e veias por intermédio de ultrassons, sem necessidade de injecção de substâncias, radiações ou outros procedimentos agressivos.

Se por um lado, como numa ecografia, a imagem dá informações sobre a forma, dimensões e diferentes densidades das paredes dos vasos e seu conteúdo, estes aparelhos utilizam também o chamado efeito Doppler para registar a velocidade e o sentido do sangue num determinado ponto de um vaso sanguíneo.  

Este tipo de exame iniciou-se pelos fins dos anos 60 com a aplicação de detectores de fluxo Doppler ao estudo da circulação sanguínea.   Posteriormente começou também a ser feito estudo ecográfico dos vasos (artérias e veias) e, em finais dos anos 70 início dos anos 80 houve a ideia de juntar as duas técnicas no mesmo aparelho surgindo o primeiro eco-Doppler ( Duplex scan ).  

Por volta de 1985 foi ainda acrescentado um sistema de codificação do fluxo sanguíneo em cor, sensível à velocidade e direcção desse fluxo. traduzindo-o em gradações e variações de cor.  

Ultimamente há também sistemas tridimensionais, que permitem a reconstrução das imagens ( ex. visualização do feto no útero).  

As vantagens deste tipo de exame levaram a que seja utilizado para o estudo de todos os vasos que lhe são acessíveis, desde o coração, artérias cervico - encefálicas (pescoço), veias dos membros inferiores, passando pelas artérias e veias intra – abdominais, membros superiores, circulação do feto e outras.  

Médico das mais diversas especialidades, desde cardiologistas, cirurgiões vasculares, obstectras, etc, utilizam largamente este exame, no qual baseiam muitas das suas mais importantes decisões terapêuticas.    

Partilhar este artigo
Referência

Notícias Relacionadas