Dor abdominalSistema Gastrointestinal

Atualizado em: Segunda, 18 de Maio de 2015 | 186 Visualizações

A dor abdominal pode ser consequência de problemas ao longo do tracto gastrointestinal ou em qualquer outro sítio do abdómen. Tais situações incluem a rotura esofágica, a perfuração duma úlcera, a síndroma do intestino irritável, a apendicite aguda, a pancreatite e os cálculos biliares. Algumas destas afecções são relativamente pouco importantes, enquanto outras podem ser potencialmente mortais. O médico tem de decidir se é necessário um tratamento imediato ou se se pode esperar até que se disponha das provas diagnósticas.

A natureza da dor e a sua relação temporária com a ingestão ou com os movimentos pode proporcionar ao médico dados para o diagnóstico. Se outros membros da família tiverem tido um problema abdominal semelhante, como cálculos biliares, a pessoa pode ser afectada pelo mesmo.

O aspecto geral da pessoa pode proporcionar dados importantes. Por exemplo, a icterícia (um tom amarelado da pele e do branco dos olhos) sugere uma doença do fígado, da vesícula biliar ou das vias biliares.

O médico examina o abdómen em busca de zonas dolorosas e de massas. Quando se pressiona suavemente a parede do abdómen, a pessoa sente dor, e quando se retira subitamente a mão, a dor é ainda mais intensa por um momento (manobra conhecida como sinal de descompressão positivo). Isto normalmente indica uma inflamação do revestimento da cavidade abdominal (peritonite).

Os exames de diagnóstico para o estudo duma dor abdominal incluem análises ao sangue e à urina, radiografia, ecografias e tomografia axial computadorizada (TAC). Quando a dor abdominal parece ser consequência duma obstrução intestinal, da perfuração de algum órgão (como a vesícula biliar, o apêndice ou o intestino), ou então dum abcesso (uma acumulação de pus), faz-se muitas vezes uma intervenção cirúrgica de urgência ao abdómen com finalidade exploratória (laparotomia).

Partilhar este artigo
Referência

Info-Saúde Relacionados