Descolamento da retinaVisão

Atualizado em: Quinta, 09 de Julho de 2015 | 254 Visualizações

O descolamento da retina é a separação da retina do folheto inferior que a suporta.

A retina

A rede de nervos que constituem a parte da retina sensível à luz forma uma película fina que adere firmemente ao tecido que a suporta por baixo. Quando estas duas camadas se separam, a retina não pode funcionar e, a menos que tornem a ser unidas, pode ficar lesada para sempre.

O descolamento pode começar numa área reduzida, mas se não for tratado, toda a retina se pode descolar. Num determinado tipo de descolamento, a retina rasga-se literalmente. Este tipo surge geralmente em pessoas míopes ou que tenham sido submetidas a uma operação às cataratas ou tenham sofrido uma lesão ocular. Noutro tipo, a retina não se rasga, mas separa-se do tecido que tem por baixo. A retina separa-se quando o movimento do líquido dentro do olho puxa a retina ou então quando o fluido se introduz entre a retina e o tecido subjacente e as separa, arrancando a retina.

O descolamento da retina é indolor, mas pode criar imagens de formas irregulares flutuando ou clarões luminosos e pode enevoar a visão. A perda da visão começa numa parte do campo visual e, à medida que avança o descolamento, a perda de visão espalha-se. Se a área macular da retina se descolar, a visão deteriora-se rapidamente e tudo se torna nebuloso.

O oftalmoscópio

O oftalmoscópio é um instrumento que permite examinar a parte interna do olho. O instrumento consta de um espelho angulado, várias lentes e uma fonte de luz. Com este aparelho, o médico pode ver o humor vítreo (fluido do olho), a retina, o início do nervo óptico e a veia e a artéria retinianas.

Um especialista de olhos (oftalmologista) examina a retina através de um oftalmoscópio (um instrumento utilizado para ver a parte interna no olho) e, em geral, pode ver o descolamento. Se o descolamento não for visível, um exame com ultra-sons pode evidenciá-lo.

A pessoa que experimente uma perda repentina de visão deverá de imediato consultar um oftalmologista. No momento de decidir se deve utilizar laser, terapia por congelação ou recorrer a uma operação, o médico considera o tipo de descolamento e a sua causa.

Se a mácula permanecer unida, o prognóstico é excelente. Se a retina voltar a unir-se dentro de 48 horas, o prognóstico é bom. No entanto, se a retina esteve descolada durante mais tempo ou se tiver havido hemorragia ou cicatrização, o prognóstico não é bom.

Partilhar este artigo
Referência

Notícias Relacionadas