Calosidades e calosDoenças da Pele

Atualizado em: Quinta, 09 de Julho de 2015 | 2095 Visualizações

Uma calosidade é uma zona da parte superior da pele, o estrato córneo ou camada de queratina, que se torna anormalmente grossa e forma uma almofada protectora como resposta a uma fricção repetida.

As calosidades podem formar-se em qualquer parte do corpo, mas regra geral aparecem sobre uma zona óssea das mãos, dos pés e dos cotovelos ou então em outras áreas que são repetidamente roçadas, como o queixo dos violinistas.

Um calo tem o tamanho de uma ervilha e é uma porção grossa de queratina que se forma nos pés.

Os calos mais duros aparecem sobre as articulações dos dedos dos pés. Os que se formam entre os dedos dos pés costumam ser mais moles. Ao contrário da maioria das calosidades, os calos podem causar dor porque o espessamento da pele faz pressão sobre o osso que se encontra por baixo.

Diagnóstico

Geralmente, as calosidades e os calos são fáceis de reconhecer. Em alguns casos, os calos confundem-se com verrugas plantares, que também contêm uma espessa camada de queratina. No entanto, as verrugas são muito sensíveis quando são comprimidas dos lados, enquanto os calos são mais sensíveis à pressão directa contra o osso

Os calos e as calosidades são mais fáceis de prevenir do que de tratar. As calosidades podem ser evitadas eliminando a fonte de irritação ou, se tal não for possível, utilizando uma luva, uma almofada ou qualquer outro elemento protector. A maioria das farmácias vende emplastros almofadados e anéis protectores de diversas formas para este fim. Os calos costumam formar-se devido a calçado incómodo e podem desaparecer se se usar um calçado apropriado. Para eliminar os calos mais rapidamente é possível usar um medicamento que dissolva a queratina.

Estes fármacos (denominados agentes queratolíticos) costumam conter ácido salicílico. Podem ser aplicados como um emplastro que seca por contacto, mas também é possível colocar sobre a zona um emplastro almofadado que contenha a medicação. No entanto, se os agentes queratolíticos não forem aplicados com cuidado, o ácido pode danificar o tecido normal adjacente. Os calos e as calosidades também podem ser reduzidos com uma pedra-pomes depois do banho, ou então recorrer-se a um médico ou a uma enfermeira para que os raspe com um escalpelo.

Numa pessoa diabética com circulação deficiente, os calos e as calosidades podem curar-se lentamente, sobretudo se se tiverem formado nos pés. Os médicos recomendam que as pessoas diabéticas tenham cuidado especial com os seus pés.

Partilhar este artigo
Referência

Notícias Relacionadas