BronquioliteSaúde na Infância - Criança & Bebé

Atualizado em: Terça, 06 de Outubro de 2015 | 67 Visualizações

Fonte de imagem: arevistadamulher

A bronquiolite é uma infecção respiratória causada por um vírus que afecta as pequenas vias aéreas (bronquíolos). O vírus sincicial respiratório (VSR) é o principal microrganismo envolvido nesta doença.

Frequente antes dos 2 anos de idade, principalmente nos meses de Inverno e início da Primavera. As crianças que frequentam creches enfrentam um risco maior devido ao contacto com outras crianças infectadas. A transmissão faz-se por gotículas de saliva ou através das mãos, e o contágio é muito fácil.

As crianças prematuras, com doenças congénitas do coração, com doença pulmonar crónica, com problemas de defesas imunitárias beneficiam de uma vacinação contra o Vírus Sincicial Respiratório.

Algumas medidas importantes para reduzir o risco de infecção incluem evitar o contacto da criança com pessoas constipadas, lavar adequadamente as mãos, rejeitar os lenços de papel usados, evitar aglomerados de pessoas como reuniões familiares e centros comerciais durante os meses de maior probabilidade de infecção, evitar locais com fumo e se possível evitar os infantários.

Não existe ainda uma vacina disponível para o VSR, no entanto, nos casos de maior risco, como sejam os prematuros, está indicada a administração de uma medicação profilática com anticorpos para os proteger desta infecção.

Inicialmente, os sintomas são semelhantes ao de uma constipação (tosse, febre baixa e olhos vermelhos). Cerca de 2-3 dias depois aparece pieira (gatinhos) e sinais de dificuldade respiratória: taquipneia (respiração rápida), tiragem (covinhas entre as costelas) e adejo nasal (abertura das asas do nariz). Pode haver diminuição do apetite.

 

O diagnóstico é feito através do exame ao doente e dos sintomas referidos por ele ou pelos seus pais. A radiografia do tórax poderá ajudar a confirmar o diagnóstico.

 

O tratamento é sintomático e a maioria das bronquiolites pode ser tratada em casa. Nos bebés mais pequenos e nas crianças que tenham problemas de base, como sejam os prematuros, doentes com patologia pulmonar ou cardíaca ou imunodeficientes, o quadro pode ser grave, muitas vezes com necessidade de internamento hospitalar.
 
- Oferecer água e criar ambiente húmido (vapores na casa de banho)

- Dar alimentação mais vezes e em menor quantidade

- Lavar e aspirar as narinas com soro fisiológico
 
- Colocar o bebé de barriga para cima, com inclinação do leito a 30º
 
- Oferecer ambiente tranquilo e não sobreaquecer a criança
 
- Não frequentar o infantário até ao desaparecimento completo dos sintomas
 
- Não fumar em casa

Criança com:

- Idade inferior a 6 meses
 
- Recusa alimentar ou vómitos
 
- Dificuldade respiratória que não melhora
 
- Lábios ou unhas azulados ou escuros
 
- Pausas respiratórias (apneia)
 
- Febre que não baixa
 
- Irritação ou sonolência
 
NÃO AUTOMEDIQUE O SEU FILHO
 
RECORRA AO SEU MÉDICO ASSISTENTE

Partilhar este artigo
Referência
Dra. Elisa Proença Fernandes - Pediatra/ Dr. José Matos - Pediatra

Notícias Relacionadas