AziaSistema Gastrointestinal

Atualizado em: Segunda, 18 de Maio de 2015 | 281 Visualizações

A azia é normalmente referida como "indigestão", mas na verdade é diferente desta.

A azia (também conhecida como refluxo ácido) ocorre quando o ácido, que normalmente se encontra sobre o revestimento de protecção do estômago, reflui para o esófago (canal que conduz os alimentos).

Uma vez que no esófago não existe uma barreira protectora, o ácido irrita e danifica o revestimento do mesmo. Isto provoca sintomas dolorosos, como por exemplo, ardor, dor (por trás do esterno) e uma sensação de enjoo (normalmente descrita como "mau sabor na boca").

Facto: a azia não está relacionada com o coração.

Sabia que: mesmo que uma pessoa esteja a fazer o pino, a comida será conduzida para o estômago, devido à força de contracção dos músculos do esófago? 

A azia (refluxo ácido) e a indigestão podem ser controladas a longo prazo, alterando o seu estilo de vida e identificando as causas do seu problema.

Para além dessas medidas, existem vários tratamentos disponíveis – obtidos com ou sem receita médica – que podem proporcionar alívio rápido e eficaz.

Estes tratamentos distribuem-se por quatro categorias principais de medicamentos:

Antiácidos

Os antiácidos são de natureza alcalina e neutralizam os ácidos do estômago. Estão normalmente disponíveis sob a forma de comprimidos – mas também os pode obter sob a forma líquida ou comprimidos mastigáveis. Os antiácidos estão disponíveis como medicamentos sujeitos a receita médica e como medicamentos não sujeitos a receita médica, e têm um início de acção rápida, no entanto normalmente não resolvem os problemas a longo prazo.

Carbonato de cálcio, hidróxido de magnésio e hidróxido de alumínio são alguns exemplos de substâncias activas presentes nos antiácidos.

Tal como em todos os outros medicamentos, leia sempre o folheto informativo.

Alginatos

Os alginatos, como Gaviscon, são supressores do refluxo. Os alginatos actuam pela formação de uma barreira física no topo do conteúdo do estômago, o que previne o refluxo do conteúdo ácido para o esófago. Os alginatos, geralmente, actuam rapidamente, e têm um efeito calmante, proporcionando alívio até 4 horas.

O alginato de sódio é um exemplo de substância activa presente nos alginatos

Tal como em todos os outros medicamentos, leia sempre o folheto informativo. Os medicamentos podem afectar o feto. Consulte sempre o seu médico ou farmacêutico antes de tomar algum medicamento durante a gravidez.

Antagonistas dos receptores H2

Os antagonistas dos receptores H2 bloqueiam os receptores da histamina e actuam no início do mecanismo de produção do ácido, bloqueando um dos processos pelos quais o estômago produz ácido. Conhecidos como supressores de ácido, o seu efeito pode durar até 12 horas - ou seja, durante todo o dia ou toda a noite, no entanto o seu início de acção não é rápido.

Cimetidina, famotidina, ranitidina ou nizatadina são exemplos de substâncias activas presentes nos antagonistas dos receptores H2.

Inibidores da bomba de protões (IBPs)

Os inibidores da bomba de protões (IBPs) reduzem a produção de ácido pela diminuição da actividade da bomba de protões no estômago. Isso acontece porque um dos componentes vitais do ácido, o hidrogénio, já não pode ser produzido.

Os IBPs proporcionam um alívio prolongado, no entanto o início de acção demora algum tempo. Algumas pessoas continuam a ter sintomas de azia e indigestão, mesmo a tomar IBPs. No entanto, os alginatos, como Gaviscon, podem ser tomados em simultâneo com os IBPs para ajudar a aliviar os sintomas.

Omeprazol, esomeprazol e lansoprazol são exemplos de substâncias activas presentes nos IBPs.

Em caso de persistência ou agravamento dos sintomas de azia ou indigestão, deverá consultar o seu médico.

 

A azia (refluxo ácido) é comum durante a gravidez e tende a tornar-se mais intensa à medida que a gravidez avança. No terceiro trimestre, cerca de 3 em 4 mulheres grávidas já sentiram os sintomas de azia. (referência: 72% - 1 fonte: Marrero JM, Goggin PM, de Caestecker JS, Pearce JM, Maxwell JD. Determinants of pregnancy heartburn. Br J Obstet Gynaecol 1992;99: 731-4).

Existem duas razões pelas quais a azia é frequente nas grávidas. Primeiro, porque ocorre o aumento de libertação da hormona progesterona causando o relaxamento dos músculos, incluindo o esfincter (anel do músculo) à entrada do estômago. Quando este relaxa, os ácidos do estômago conseguem entrar no esófago (canal que conduz os alimentos) e provocar azia.

Nas fases mais avançadas da gravidez, os sintomas também podem ser provocados pela pressão física causada pelo bebé no tracto digestivo da mulher, fazendo pressão sobre o esfíncter.

Se está grávida e sofre de azia pode seguir algumas regras simples para a aliviar, tais como, manter uma dieta saudável, sentar-se e/ou dormir numa posição mais vertical e manter o aumento do peso dentro dos limites recomendados.

Também será útil consultar o seu médico ou farmacêutico, uma vez que existem medicamentos indicados para o tratamento da azia e indigestão que podem ser utilizados por grávidas. Muitos alginatos, como os medicamentos Gaviscon, não entram na corrente sanguínea, formando apenas uma camada espessa no topo do conteúdo do estômago que evita que o ácido suba até ao esófago.

Tal como com todos os medicamentos, leia sempre o folheto informativo. Os medicamentos podem afectar o feto. Se estiver grávida consulte sempre o seu médico ou farmacêutico antes de tomar algum medicamento.

A curto prazo, muitos casos de azia (refluxo ácido) podem ser tratados com medicamentos não sujeitos a receita médica, disponíveis na sua farmácia ou parafarmácia. Há quatro tipos principais de medicamentos disponíveis: alginatos, antiácidos, antagonistas dos receptores H2 e inibidores da bomba de protões.Consulte o seu médico ou o seu farmacêutico para saber qual poderá ser o tratamento mais adequado para si.

No entanto, talvez seja importante detectar as causas dos seus sintomas e fazer alterações apropriadas ao seu estilo de vida e dieta:

  • Manter o seu peso sob controlo.
  • Fazer frequentemente pequenas refeições ao longo do dia.
  • Não comer tarde ou em andamento.
  • Dormir com o tronco ligeiramente elevado usando almofadas como suporte.
  • Evitar comida picante, ácida ou gordurosa.
  • Cortar no álcool, cafeína e em bebidas muito quentes.
  • Não fumar.
  • Relaxar – o stress pode provocar um abrandamento do sistema digestivo.
  • Evitar as causas conhecidas da azia.

Deverá consultar o seu médico em caso de dúvida ou se após estas alterações continuar a ter episódios frequentes (por exemplo: semanalmente).

A azia (refluxo ácido) tende a ocorrer após uma refeição. Pode ser desencadeada por comida picante, álcool, postura, gravidez e até stress. De facto, num inquérito recente, 63% das pessoas que sofrem de azia afirmaram que acreditam que o seu estilo de vida agitada contribui para os seus sintomas (ref: Gaviscon U&A, lpsos, 8 Agosto 2006).

Se sofre regularmente de azia pode, a partir da lista seguinte das causas mais comuns, detectar o que pode estar a provocar-lhe esse problema.

A forma como come…

  • Ingerir grandes refeições pode levar o seu estômago a produzir demasiado ácido. "Encher" fisicamente o estômago em demasia pode provocar pressão e levar à libertação de ácido.
  • Comer de forma irregular ou muito rapidamente pode fazer com que os níveis de ácido não tenham tempo para se regular.
  • Comer depressa ou antes de deitar pode facilitar a libertação do ácido para o esófago.

Os tipos de alimentos que ingere…

  • Alimentos gordurosos tendem a ficar durante mais tempo no seu estômago, porque as gorduras são de digestão mais lenta.
  • Alimentos como o chocolate e a hortelã podem ter um efeito relaxante no esfíncter (anel do músculo) à entrada do estômago permitindo que o ácido suba.
  • Alimentos picantes, produtos com tomate e cebola também podem ser causas da azia.

Os tipos de bebidas que ingere…

  • Bebidas com cafeína e álcool tendem a aumentar a acidez no seu estômago.
  • Bebidas muito quentes e sumos de citrinos podem desencadear azia.

Outros factores que habitualmente desencadeiam azia incluem...

  • Alguns medicamentos, como por exemplo, para problemas de coração, asma e hipertensão podem fazer com que o seu estômago produza mais ácido.
  • Ter excesso de peso ou usar roupas apertadas pode pressionar o seu estômago.
  • Fumar pode estimular a produção de ácido e fazer com que o esfíncter relaxe. Também pode diminuir a produção de saliva que ajuda a proteger o esófago.

Muitas pessoas podem identificar as causas da sua azia e agir de acordo com elas mas, se sofre regularmente ou se tem outras preocupações, consulte o seu médico.

Sabia que: mais de 1 em 3 pessoas que sofrem de azia afirmam que também sofrem de indigestão? (Referência: Research International, Gaviscon U&A 1999).

Deverá consultar o seu médico se sofre de algum dos seguintes sintomas:

  • Sintomas que se desenvolveram pela primeira vez na meia idade ou em idade avançada.
  • Dor abdominal antes ou após as refeições.
  • Sensação persistente de enfartamento, inchaço ou flatulência.
  • Náuseas ou vómitos – particularmente se o vómito tem sangue vermelho vivo ou partes castanhas escuras.
  • Dor ou dificuldade em engolir.
  • Perda de apetite contínua/ perda de peso contínua inexplicável.
  • Diarreia persistente, obstipação ou alguma alteração nos hábitos intestinais.
  • Alterações nas fezes (movimento do intestino) especialmente se forem pretas, vermelho escuras, pálidas ou com muco.
  • Sangramento ou dor quando há passagem de fezes.
  • Sensação de cansaço, letargia ou indisposição em associação com sintomas abdominais.

Os sintomas da azia (refluxo ácido) são geralmente descritos como uma sensação de aperto ou ardor na parte de trás da garganta e na zona do peito. Também poderá sentir um sabor ácido ou amargo na sua garganta. De um modo geral, irá perceber que os sintomas tendem a piorar quando estiver deitado ou dobrado.

Algumas pessoas sentirão uma dor muito forte, enquanto outras sentirão apenas algum desconforto. Fale com o seu médico se estiver preocupado com os seus sintomas.

Partilhar este artigo
Referência

Notícias Relacionadas