Alimentação saudável: regras geraisPeso e Nutrição

Atualizado em: Segunda, 18 de Maio de 2015 | 516 Visualizações

Fonte de imagem: shuterstock

Os condicionalismos da vida moderna, principalmente nas sociedades mais desenvolvidas, levam frequentemente a hábitos alimentares que não são os mais correctos, os quais são de tal forma interiorizados individualmente que se tornam, muitas vezes, difíceis de alterar.

Estes erros alimentares relacionam-se com os horários das refeições, bem como com a quantidade e qualidade de alimentos consumidos diariamente. Numa tentativa de minimizar estes erros, serão apresentadas algumas regras que poderão ser úteis tendo em vista uma alimentação saudável.

Aumento da ingestão de fibras. As fibras são substâncias de origem vegetal e encontram-se em frutos, folhas e sementes, desempenhando funções fundamentais na regulação do trânsito intestinal e também a nível do metabolismo do colesterol. O aumento do seu consumo pode ser conseguido através de um incremento na ingestão de legumes, leguminosas, cereais e frutos.

Diminuição do consumo de gorduras. O consumo de gorduras é normalmente excessivo e está directamente relacionado com o abuso do recurso aos fritos como forma de confecção dos alimentos.

Aumento da ingestão de água. A ingestão de água essencialmente nos intervalos das refeições é indispensável para o normal funcionamento orgânico nomeadamente para o sistema urinário, na prevenção da formação de cálculos e na redução da incidência de infecções das vias urinárias. A água é também importante na regularização do trânsito intestinal através da hidratação das fezes.

Diminuição do consumo de bebidas alcoólicas. Para além de tóxico, o álcool contribui para o excesso calórico característico dos padrões alimentares excessivos. Os efeitos benéficos que têm sido atribuídos ao álcool carecem de comprovação científica e, nomeadamente, no que diz respeito ao vinho, mesmo que consumido durante as refeições e em pequenas quantidades, parece estar dependente de outros factores como a actividade física diária, o consumo de tabaco ou da própria alimentação para que se considere favorável sob o ponto de vista da saúde.

Diminuição do consumo de sal. Nomeadamente, através da redução da sua adição na confecção dos alimentos, bem como no tempero de saladas ou molhos.

Redução da adição de sacarose (açúcar vulgar) a bebidas ou outros alimentos bem como moderação no consumo de produtos de pastelaria e refrigerantes.

A ingestão diária de alimentos deve repartir-se por 5 a 6 refeições com intervalos não superiores a 3,5 horas com uma pausa nocturna de cerca de 8 horas.

Partilhar este artigo
Referência

Notícias Relacionadas