8 - 12 SemanasSaúde na Infância - Criança & Bebé

Atualizado em: Segunda, 18 de Maio de 2015 | 1528 Visualizações

O abdómen começa a aumentar ligeiramente.

Chega a altura de fazer uma revisão ao roupeiro e de seleccionar a roupa mais cómoda.

Convém comprar soutiens maiores e começar a visitar as lojas de roupas para grávidas (pré-mamã).

Tonturas, palpitações e taquicardia são comuns nesta fase. Há 1,5 litros a mais de sangue a circular no corpo, que tem de percorrer um trajecto maior para nutrir e alimentar o feto e a placenta. Por causa disso, o coração passa a bombear mais rapidamente, o fluxo sanguíneo em direcção ao cérebro é reduzido e a tensão arterial baixa.

Poderá sentir cãibras, principalmente à noite. A salivação aumenta, torna-se mais ácida e as gengivas sangram com facilidade, exigindo uma higiene oral cuidadosa.

As veias, mais dilatadas, podem provocar o aparecimento de varizes das pernas, vulvares e hemorroidais. Pouco a pouco, vai diminuindo a produção da hormona gonadotropina coriónica, responsável pelas náuseas e mudanças no apetite.

Nos casos em que o feto corre um elevado risco de apresentar anomalias, entre as 10 e a 12º semanas realiza-se uma biópsia de Corion (extracção de tecido da placenta para posterior análise genética).

No final deste mês, estão formados os órgãos vitais do futuro bebé, que deixa de chamar-se embrião e passa a denominar-se feto.

É altura de fazer a primeira ecografia. Este exame destina-se a confirmar a gravidez, verificar a localização do feto (para excluir o risco de uma gravidez extra-uterina), identificar a vesícula vitelina, saber se se trata de mais de um embrião, datar o momento da concepção, verificar a vitalidade fetal (pode-se ouvir o ruído do coração do bebé, um dado bastante tranquilizador) e a morfologia fetal.

Partilhar este artigo
Autor
Milupa
Referência

Notícias Relacionadas