Os vícios do século XXI. E todas as pessoas têm pelo menos umNotícias de Saúde

Quinta, 29 de Outubro de 2015 | 864 Visualizações

Fonte de imagem: fikdik

Os novos tempos trouxeram novas formas de estar, novos estilos de vida e novos vícios.

Drogas, álcool, tabaco, pastilhas elásticas, etc. Tudo isto são vícios atuais, mas já com alguns ‘anos de casa’. Agora, e à boleia do século XXI, surgiram outros tantos tão ou mais graves.

Segundo a revista Exame, são sete os vícios do atual século, sete espelhos da sociedade atual, sete novas formas de comportamento.

1. Emprego – ‘respirar’ o emprego, não parar um segundo, consultar o email de trabalho em casa, levar trabalho para casa, querer sempre mais, não conseguir estar parado, não conseguir deixar trabalho por fazer. Esta parece a descrição do melhor funcionário de sempre, mas não, é apenas o exemplo de uma pessoa viciada no trabalho.

2. Popularidade – narcisismo, selfies, redes sociais… eu no centro das atenções. As pessoas dos dias de hoje ‘sofrem’ para chamar a atenção e expõem-se de tal forma para obter a popularidade.

3. Internet – como não poderia deixar de ser, as pessoas do século XXI são viciadas na internet e não conseguem passar um dia – ou mais do que dez minutos – sem aceder a alguma página online ou a alguma rede social.

4. Rumores – também impulsionados pelas redes sociais e pela imensidade da informação online, os rumores multiplicam-se a cada dia e as pessoas parecem carecer desse tipo de conteúdos, acabando por ‘consumi-los’ de forma desenfreada.

5. Comer – seja de forma saudável, seja fast food. A comida tornou-se num vício e dos mais letais de todos, uma vez que os casos de obesidade não param de crescer. Além disso, a maior procura faz com que a produção seja ainda mais industrializada, perdendo-se a qualidade dos alimentos.

6. Compras – o consumismo é também um dos sinais e vícios da atualidade, com as pessoas a contrariem cada vez mais créditos para pagarem as suas compras e os seus luxos.

7. Televisão – com a quantidade de oferta a multiplicar-se a olhos vistos e com o sedentarismo a falar cada vez mais alto, são muitas as pessoas que não passam sem a televisão e que conseguem passar horas a fio em frente ao televisor.

Partilhar esta notícia
Referência