O salmão que comemos pode não ser bem o que pensamosNotícias de Saúde

Quinta, 29 de Outubro de 2015 | 51 Visualizações

Fonte de imagem: https://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&ved=0CAYQjB1qFQoTCNCo9rq56MgCFUk2Pg

Um novo estudo sugere que a indústria pode estar a mentir-nos em relação ao salmão.

Um estudo realizado pela organização norte-americana Oceana descobriu que pelo menos 43% das vezes a descrição do seu salmão – seja na embalagem ou num menu de restaurante – e o peixe que de facto está a comer não são iguais.

Mas tudo depende do tipo de salmão que come. Algumas categorias de salmão tendem a corresponder à verdade, já o ‘salmão selvagem’ é mais provável que seja salmão de viveiro ou mesmo outro peixe qualquer, destaca o site Gizmodo.

Em 31 amostras de ‘salmão selvagem’, 21 eram na realidade salmão de viveiro, 10 amostras eram outros tipos de salmão e uma amostra era até de truta arco-íris.

É interessante ainda analisar que um estudo semelhante realizado há dois anos que encontrou apenas 7% de fraudes no salmão. Isto porque o último estudo foi realizado no verão, quando há muita oferta de salmão, e este terá sido realizado no verão, quando há falta de salmão.

Portanto a questão da fraude não depende do próprio salmão mas da forma como as ofertas alimentarem em geral funcionam – o que leva a indústria a cometer este tipo de fraudes.  

Partilhar esta notícia
Referência