Faringites e amigdalitesNotícias de Saúde

Domingo, 06 de Setembro de 2015 | 81 Visualizações

Fonte de imagem: maedeguri

A grande maioria das faringites nas crianças, mesmo no caso das amigdalites, são provocadas por vírus e não carecem, portanto, de tratamento antibiótico.

A faringe, mais conhecida por “garganta”,  localiza-se por trás das fossas nasais, da boca e da laringe. Permite a passagem do ar entre o nariz, a boca e a laringe, levando-o aos pulmões, e também a passagem dos alimentos entre a boca e o esófago. Nesta “encruzilhada”, passam portanto muitas substâncias estranhas ao organismo, como poluentes, alérgenos e microorganismos. É daqui que surge a necessidade de ter um sistema de defesa local, constituído por pequenos aglomerados de tecido linfoide, os maiores dos quais são as amígdalas e os denoides.

As infeções da faringe designam-se por faringites. Quando as fossas nasais também estão afetadas, o que é frequente nas vulgares constipações, chamam-se nasofaringites ou rinofaringites. As amigdalites são também faringites, mas em que as amígdalas estão particularmente afetadas, e o mesmo se aplica às adenoidites.

A grande maioria das faringites nas crianças, mesmo no caso das amigdalites, são provocadas por vírus e não carecem portanto de tratamento antibiótico. As amigdalites bacterianas, na gíria “anginas”, são causadas quase sempre pela bactéria Streptococcus pyogenes. As faringites caracterizam-se por dor de garganta e dor ao engolir, que se podem acompanhar de febre, corrimento nasal, entre outros sintomas. As crianças mais pequenas, que não sabem explicar as queixas, apresentam mais frequentemente recusa em se alimentar e salivam excessivamente, dado que evitam engolir a saliva. A garganta fica com um aspeto avermelhado e as amígdalas podem ficar esbranquiçadas – os famosos “pontos brancos” (atenção: este aspeto pode surgir muitas vezes nas infeções virais).

É importante tratar a dor de garganta e a febre com analgésicos e antipiréticos, mas o ponto fulcral é evitar a desidratação, que pode surgir pela recusa dos alimentos e líquidos. É por isso fundamental insistir na ingestão de líquidos, sendo que os líquidos frescos e que não tenham acidez serão mais bem aceites pela criança com dor de garganta. Quando a infeção é provocada por bactérias, o tratamento passa pela administração de antibiótico.

Partilhar esta notícia
Referência

Info-Saúde Relacionados