Eis a razão por que devemos parar de comer tanto abacateNotícias de Saúde

Domingo, 06 de Novembro de 2016 | 776 Visualizações

Fonte de imagem: Perdendo Barriga

O abacate já não é só um fruto dos mexicanos. Ultrapassou fronteiras e é agora um alimento obrigatório na dieta de muitos amantes de comida saudável. Mas, à imagem do que aconteceu com a soja, a sua produção em demasia está a ter efeitos nocivos.

O abacate é o 'menino dos olhos bonitos' da alimentação saudável há já algum tempo. É conhecido pela sua versatilidade (tanto dá para saladas quentes ou frias, como até para barrar no pão) e pelo seu valor nutricional.

Mas, como qualquer alimento que entra na moda e que passa a ser produzido em larga escala, os benefícios que este pode trazer a cada um de nós podem ser  inversamente proporcionais ao impacto negativo que tem no meio ambiente. É o que está a acontecer no México, onde a plantação deste fruto está a causar desflorestação.

Como se isso não fosse já grave, a população das áreas onde é cultivado o abacate pode estar a ficar doente devido aos químicos utilizados na produção do fruto, cultivado para satisfazer o 'apetite voraz' internacional deste fruto que sempre foi consumido pelos mexicanos.

Há relatos de espirros, problemas respiratórios e dores de estômago. "Acreditamos que esta é causada por produtos utilizados para pulverizar os pomares de abacate", disse Salvador Sales, um professor da região, sublinhado o vento poderá estar a fazer com os químicos estejam a ser levados para as habitações das pessoas, nomeadamente dos seus alunos, que desde há 15 anos a esta parte têm vindo a revelar cada vez mais estes sintomas.

O alerta das consequências nefastas do aumento do cultivo de abacate é corroborado também por especialistas, refere o Independent, que apontam os químicos transportados pelas águas das chuvas como um problema para a saúde dos mexicanos.

A realidade é que o que antes era floresta de pinheiros é agora plantações de abacate, sobretudo em Michoacan, a capital mundial do abacate. De salientar que 40 % da produção mundial deste fruto é de origem mexicana. 

Partilhar esta notícia
Referência

Info-Saúde Relacionados