Dormir demasiadas horas é prejudicialNotícias de Saúde

Sábado, 13 de Outubro de 2018 | 17 Visualizações

Fonte de imagem: Greatist

As pessoas que em média dormem mais do que as típicas sete a oito horas por noite recomendadas, poderão ter um desempenho cognitivo pior do que quem dorme o recomendado, revelou um estudo.
 

O estudo, que é o maior sobre o sono a nível global, foi lançado na internet em junho de 2017, por investigadores liderados por Conor Wild, da Universidade Western, em Ontário, Canadá, e contou com a participação de mais de 40.000 pessoas de todo o mundo. 
 
Os participantes responderam a um questionário online bastante detalhado e desempenharam uma série de atividades que exigiam o desempenho cognitivo.
 
Adrian Owen, investigador no estudo, explicou que “queríamos mesmo capturar os hábitos de sono das pessoas à volta de todo o globo. Obviamente tem havido muitos estudos mais pequenos de pessoas em laboratórios, mas queríamos descobrir como é dormir no mundo real”.
 
O investigador divulgou ainda que os participantes deram informação muito detalhada sobre eles próprios como a medicação que tomavam, habilitações académicas e em que parte do mundo se encontravam.
 
Cerca de metade de todos os participantes relataram dormir normalmente menos de 6,3 horas por noite, que são cerca de uma hora a menos do que o recomendado. Um achado curioso foi o facto de a maioria dos participantes que dormiam quatro horas ou menos, demonstrarem um desempenho como se fossem nove anos de idade mais velhos.
 
A equipa descobriu ainda que o sono afetava todos os adultos de forma igual e que a quantidade de sono que proporciona um melhor desempenho cognitivo funcional é a mesma para todos: sete a oito horas por noite. 
 
Finalmente, a incapacidade provocada por sono a menos ou a mais, não depende da idade dos participantes. Por outro lado, o estudo sugere que mesmo uma única noite de sono pode afetar a capacidade de raciocínio de uma pessoa. Os participantes que tinham dormido mais do que o normal na noite antes de participarem no estudo demonstraram um melhor desempenho do que os que dormiram o habitual ou menos do que o habitual.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Sleep”

Notícias Relacionadas