Do chulé às aftas, nunca esquecendo o mau hálito. A resposta às dúvidasNotícias de Saúde

Terça, 06 de Setembro de 2016 | 2109 Visualizações

Fonte de imagem: huffingtonpost

Sabe porque é que algumas pessoas têm um cheiro a chulé mais intenso do que outras?

Se a grande maioria das pessoas já gosta pouco de ir ao médico, a probabilidade de procurar um para falar de problemas embaraçosos como o chulé ou as aftas é muito (mas muito) reduzida.

Embora se tratem de condições comuns e frequentes em muitas pessoas, as dúvidas sobre a causa e o tratamento continuam por esclarecer, muito por vergonha em abordá-las.

Para facilitar a vida a todos os que se sentem embaraçados com algumas das condições físicas e de saúde menos desejadas, o site Today falou com um especialista e revela tudo o que é preciso saber sobre o chulé, o mau hálito, as aftas e a prisão de ventre.

Chulé:

O odor intenso dos pés é provocado por infeções fúngicas ou por um maior nível de transpiração, que acelera o crescimento e permanência de bactérias. E são essas mesmas bactérias, quando em decomposição, que provocam o cheiro, especialmente se o calçado em causa for usado durante muitas horas e por muitos dias consecutivos.

Colocar os sapatos em locais escuros pode aumentar a proliferação de bactérias.

Como prevenir o cheiro a chulé: Não usar os mesmo sapatos todos os dias, lavar bem os pés e usar anti-transpirantes, seja nos pés ou nos sapatos. Deixá-los ao sol durante algum tempo ajuda a reduzir o odor e a quantidade de bactérias.

Obstipação em viagem:

A prisão de ventre durante as viagens é extremamente comum e deve-se a vários fatores: mudança de fuso horário, cansaço, perda de rotina, desidratação, alterações na dieta e ansiedade.

Como prevenir a prisão de ventre em viagens. Colocar na mala um laxante e procurar manter a rotina alimentar e de exercício. Apostar em alimentos ricos em fibra é também importante.

Aftas:

As aftas surgem inesperadamente e podem causar algum desconforto a comer e a falar. Uma das dúvidas mais comuns relacionadas com este problema bocal refere-se ao uso da escova de dentes. Deve-se ou não mudar de escova depois de ter uma afta? A resposta é ‘nim’. Se se tratar de uma afta suave e de curta duração, pode não ser necessário trocar de escova de dentes, contudo, convém ter em atenção a intensidade da lesão e a possibilidade de poder surgir noutras áreas da boca.

Mau hálito depois de lavar os dentes:

O mau odor da boca é um dos aspetos menos desejado e apreciados pelas pessoas, podendo causar situações de desconforto e embaraço.

A má higiene é uma das causas para este problema, mas está longe de ser a única. Alguns medicamentos ou problemas de saúde (doenças gastrointestinais, infeções respiratórias, etc.) podem desencadear o mau hálito, mas há que ter sempre em conta os dentes e a boca, uma vez que as cáries e as aftas podem ser responsáveis pelo cheiro.

Partilhar esta notícia
Referência
Daniela Costa Teixeira

Info-Saúde Relacionados